finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

São Paulo tem a cesta básica mais cara do Brasil

São Paulo fechou o ano 2000 como a capital brasileira com a cesta básica mais cara do País. O aumento acumulado no ano passado foi de 6,77% e o preço final de R$ 119,54. A batata com 52,33%, o açúcar com 37,88% e o leite com 32,50% foram os produtos que apresentaram as altas de preços mais expressivas na cesta básica do paulistano.As cidades de Belo Horizonte e Rio de Janeiro apresentaram as maiores altas de 2000 na variação de preços da cesta básica. A capital mineira registrou um aumento de 12,88% e capital carioca de 12,29%, com relação ao ano de 1999. Os dados são da pesquisa nacional do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócios-Econômicos (Dieese). As altas de Belo Horizonte e Rio de Janeiro superaram o aumento concedido pelo governo ao salário mínimo em abril do ano passado, de 11,03%. Outras oito capitais tiveram reajustes acima da taxa de inflação de 6%. A cesta básica de Recife teve aumento de 9,54%, Aracaju de 8,96%, Brasília de 8,52%, Porto Alegre de 8,21%, Natal de 7,29%, Fortaleza de 6,78%, São Paulo de 6,77% e Belém de 6,53%. As menores variações do ano passado foram nas cidades de João Pessoa (0,70%), Vitória (3,61%) Goiânia e Florianópolis (4,76%). Confira na tabela abaixo a pesquisa mensal da cesta básica referente ao mês de dezembro:CapitalValor Cesta Básica (R$)Variação Dez/2000 (%)Variação ano 2000 (%)São Paulo119,54- 1,70%6,77%Porto Alegre114,39-3,39%8,21%Rio de Janeiro113,27- 1,60%12,29%Brasília112,01- 0,48%8,52%Belo Horizonte111,12- 3,57%12,88%Curitiba109,09- 4,82%5,08%Florianópolis103,27- 3,96%4,76%Belém102,091,39%6,53%Recife98,37- 4,33%9,05%Vitória96,11- 2,81%3,61%Aracaju95,360,61%8,96%Natal94,801,22%7,29%Goiânia93,28- 0,51%4,76%Fortaleza91,02- 2,56%6,78%João Pessoa90,961,16%0,70%Salvador86,71- 2,29%5,89%Fonte: Dieese

Agencia Estado,

03 de janeiro de 2001 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.