São Paulo terá 13º PIB do mundo em 2020, diz estudo

São Paulo, que hoje ostenta o 19º maior Produto Interno Bruto (PIB) entre as grandes cidades do mundo, ocupará em 13ª posição nesse ranking, segundo um estudo elaborado pela consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC). O PIB das 151 metrópoles incluídas no levantamento foi calculado com base em dados de 1995, através do critério de paridade de poder de compra.O estudo afirma que o PIB de São Paulo, que em 2005 era de US$ 225 bilhões, saltará para US$ 411 bilhões em 2020. A média de crescimento anual da economia da capital paulista nesse período será de 4,1%. Segundo a PwC, esse ritmo de expansão de São Paulo será o 69º maior entre todas as cidades incluídas no estudo.Além de São Paulo, oito cidades brasileiras foram incluídas no ranking: Rio de Janeiro, atualmente a 30ª, perderá uma posição em treze anos; Belo Horizonte saltará de 75ª maior para 63ª, Porto Alegre cairá da 89ª para 91ª, Recife da 98ª para 96ª, Brasília da 102ª para 92ª; Salvador da 103ª para 99ª; Fortaleza da 108ª para 101ª; e Curitiba de 114ª para 106ª.Tóquio na liderançaAs três maiores cidades do mundo hoje, em termos econômicos, - Tóquio, Nova Iorque, Los Angeles - deverão manter esse status em 2020. Seus PIBs somados superam o de países como o Canadá ou Espanha. Em 13 anos, Londres, hoje a sexta maior, saltará para o 4º lugar, empurrando Chicago para o 5º. Paris cairá da 5ª para a 6ª posição.Segundo a PwC, o crescimento econômico mais acelerado nas metrópoles de países emergentes fará com que elas subam no ranking. A cidade do México, por exemplo, saltará do oitavo para o sétimo lugar. Buenos Aires, do 13º para o 11º. Xangai, na China, atualmente no 32º lugar, terá a 16ª maior economia em 2020. Mumbai subirá da 37ª para a 24ª posição.As 80 cidades de países emergentes representaram 27% do PIB de 2005 das 151 cidades avaliadas. Até 2020, essa participação subirá para 35%.Roma, Milão e Berlim estão entre as cidades européias cuja importância econômica deverá declinar. O mesmo deve acontecer com várias cidades norte-americanas, como São Francisco e Miami. Segundo a consultoria, o PIB dessas cidades vai continuar se expandindo, "mas não conseguirão manter o ritmo de crescimento mais acelerado das economias do mundo emergente".Poder econômicoOs autores do estudo observaram que, normalmente, os rankings das grandes cidades são feitos com base no tamanho de suas populações. Segundo esse critério, São Paulo, com 18,3 milhões de habitantes, é a quarta maior do mundo, atrás de Tóquio, Cidade do México e Nova Iorque. "Mas é importante se levar em conta também o poder econômico dessas cidades, além de seu potencial de inovação tecnológica, atração de investimentos e muitos outros aspectos", afirmaram.Segundo a PwC, o estudo enfatizou a importância econômica das grandes metrópoles. Em 2005, as trinta cidades com maiores PIBs representavam 16% da economia mundial. No caso das cem maiores cidades, essa fatia aumenta para 25%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.