Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Segundo o governo, maioria vai receber R$ 750 dos recursos liberados do PIS/Pasep

Presidente Michel Temer assinou nesta quarta-feira, 23, MP que adianta recursos do fundo a homens com mais de 65 anos e mulheres com mais de 62

Tânia Monteiro, Carla Araújo e Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2017 | 13h25

BRASÍLIA - O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse que a liberação de R$ 15,9 bilhões de recursos do PIS/Pasep que estão inativos deve beneficiar diretamente oito milhões de pessoas. Segundo ele, a maioria dos cotistas receberá cerca de R$ 750. "Os recursos ajudarão na retomada da economia", disse. O presidente Michel Temer assinou uma medida provisória (MP) nesta quarta-feira, 23, colocando a ação em vigor.

Terão acesso ao às cotas do fundo mulheres com 62 anos ou mais e homens com mais de 65 anos. Antes da MP editada por Temer, os recursos só poderiam ser liberados quando as pessoas completassem 70 anos. Os recursos começam a ser disponibilizados a partir de outubro. 

O ministro comentou, ainda, que o governo vai fazer ampla divulgação de como as pessoas poderão fazer os saques. "Muitos esquecem que têm esse dinheiro", disse.

 

Dyogo fez questão de citar que o gesto do governo segue o que já havia sido feito com a liberação de R$ 44 bilhões de contas inativas do FGTS. "Agora, disponibilizamos recursos do PIS/Pasep para ajudar na retomada do varejo", afirmou. 

+ FGTS injetou mais de R$ 190 bilhões na economia em 2016

+ 25% do dinheiro de contas inativas do FGTS foi usado para compras

Os cotistas que se enquadrarem nas regras para fazer o saque poderão acessar os recursos do PIS/Pasep pela folha de pagamento das empresas ou de forma automática em conta de depósito, conta poupança ou outra forma de pagamento registrada sob sua titularidade.

A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil divulgarão o calendário de saques dos recursos nas próximas semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.