Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Sara Lee vende operação de café e chá à JM Smucker por US$ 350 mi

Empresa tem trabalhado nos últimos meses para estreitar o seu foco 

Gabriela Mello, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 12h25

WASHINGTON - A norte-americana Sara Lee vendeu a maior parte de suas operações de café e chá de foodservice (alimentação fora do lar) para a J.M. Smucker por US$ 350 milhões em dinheiro, dando continuidade aos esforços para reduzir o tamanho da companhia. Os papéis do grupo subiram 3,4% no pregão eletrônico de Nova York, para US$ 18,38 por ação, acumulando alta de 1,5% desde o começo do ano.

A Sara Lee tem trabalhado nos últimos meses para estreitar o seu foco. Atualmente, a empresa está em um processo de cisão, separando os negócios internacionais de café e chá das operações na América do Norte, que incluem as marcas Jimmy Dean e Hillshire Farms.

"Nossa decisão de vender uma grande parte deste negócio para Smucker é um exemplo do renovado foco da Sara Lee Coffee and Tea no crescimento lucrativo e sustentável e parte da ordem de criar a companhia com foco único mais forte possível", afirmou o presidente-executivo do grupo, Jan Bennink. O acordo deve ser fechado no começo do próximo ano.

Também nesta segunda-feira, a Sara Lee disse que as operações da cafeteira Senseo na América do Norte serão descontinuadas em 31 de março de 2012, com exceção do seleto canal de vendas online. A empresa planeja vender ou descontinuar os ativos remanescentes do segmento.

A divisão de bebidas de foodservice na América do Norte emprega atualmente cerca de 690 pessoas e gerou uma receita líquida de quase US$ 530 milhões no ano fiscal 2011, dos quais cerca de US$ 285 milhões estavam associados aos ativos vendidos para J.M. Smucker. As companhias preveem que quase 450 pessoas serão transferidas para Smucker depois da execução do acordo.

Além da venda, as duas assinaram um acordo de licenciamento para desenvolverem juntas tecnologias de café líquido. Como resultado, a Sara Lee revelou que receberá por 10 anos um fluxo de capital totalizando aproximadamente US$ 50 milhões, mais royalties relacionados ao crescimento, o que ajudará a cobrir suas despesas com pesquisa, desenvolvimento e outros gastos de suporte.

A unidade de café da J.M. Smucker, que possui marcas como a Folgers, é a principal da empresa em termos de vendas. Em um comunicado, o executivo-chefe da companhia, Richard Smucker, disse que o acordo fortalecerá ainda mais a posição do grupo no mercado de café da América do Norte.

"A soma do café líquido concentrado ao portfólio da Smucker se alinha ao nosso desejo de competir em todas as formas de café, além das plataformas de torrado e moído, instantâneo, dose única e pronto para beber", informou a Smucker.

Como muitas outras fabricantes de alimentos, a Sara Lee ultimamente tem enfrentado uma onda de turbulências econômicas, incluindo o humor instável do consumidor e o crescente custo das commodities. O lucro da companhia no quarto trimestre fiscal recuou 41%, embora a linha principal de negócios tenha ficado alinhada à previsão de analistas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.