finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Sarkozy fala em regular derivativos de commodity

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, dirimiu em parte as dúvidas sobre as intenções de seu governo no G-20 ministerial de Paris, que ocorre hoje. Em discurso a ministros de Economia e presidentes de bancos centrais, o chefe de Estado francês defendeu a "regulação dos mercados derivados" de matérias-primas, sem fazer menção à administração dos preços, como antes insinuava.

, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2011 | 00h00

Sarkozy fez o discurso no fim da tarde de ontem, no Palácio do Eliseu. O chefe de Estado apresentava as prioridades da França para o G-20 em 2011, do qual o país será o anfitrião, quando exortou a comunidade internacional a buscar um acordo sobre dois pontos: a reforma do sistema monetário e o combate à volatilidade dos preços de matérias-primas.

"O que eu proponho é uma estratégia global que tenha por ambição lutar contra a volatilidade, regular os mercados derivados, aumentar a transparência nos mercados físicos e reforçar as ferramentas de segurança alimentar", explicou o presidente.

Conforme o Estado revelou na quinta-feira, a proposta da França de regular o mercado de derivativos de commodities conta com o apoio brasileiro. Ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou o acordo sobre a questão.

Mantega fez questão de descartar qualquer hipótese de apoio do Brasil a eventuais propostas de administração de preços de matérias-primas e de criação de estoques reguladores mundiais. "Sou contra estoques. Como vamos administrar?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.