Sarkozy pede fim de restrição à exportação de alimentos

Além do presidente francês, Angela Merkel e Bush exigem medidas para aliviar a crise alimentar em cúpula do G8

Agências internacionais,

07 de julho de 2008 | 10h32

Líderes do G-8 (grupo dos sete países mais ricos do mundo e a Rússia), que se reúnem a partir desta segunda-feira, 7, em Hokkaido, no Japão, afirmaram no fim de semana que pretendem adotar medidas que aliviem a crise dos alimentos. O presidente da França, Nicholas Sarkozy, declarou em entrevista ao jornal japonês Yomiuri Shimbun que os países do G8 (Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, EUA, Reino Unido e Rússia) deveriam suspender as restrições às exportações de alimentos para ajudar a conter a crise, possibilitando que os países mais necessitados tenham acesso ao excedente de alimentos das nações mais ricas.   Veja também: Entenda a crise dos alimentos    Começa a cúpula do G8 em Hokkaido, no Japão Convidado, Lula deve defender biocombustíveis UE propõe fundo agrícola de US$ 1,6 bi para países pobres Sarkozy quer expandir o G8 e incluir países emergentes  EUA expressam sua oposição à ampliação do G8A chanceler alemã, Angela Merkel, espera que no encontro sejam adotadas medidas que "ofereçam um alívio no curto prazo para a crise, além de uma estratégia de longo prazo para aumentar a produção agrícola global", segundo um jornal alemão.   De acordo com a revista Spiegel, Merkel afirmou em um documento enviado aos colegas do G-8 que acredita que o forte aumento dos custos dos alimentos pode "colocar em perigo a democratização, desestabilizar alguns países e se tornar um problema de segurança internacional". A chanceler afirmou no documento que a Alemanha irá liberar US$ 750 milhões este ano para ajudar os países pobres na questão da alimentação.Os líderes reunidos no Japão deverão entrar em um acordo para adotar um novo sistema de reserva de alimentos. Segundo o jornal japonês Asahi Shimbun, os membros do G-8 deverão contribuir com uma reserva global de grãos. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou que pedirá ao líderes do G-8 que aumentem os embarques de alimentos, fertilizantes e sementes para os países necessitados, e que reduzam as barreiras aos produtos agrícolas geneticamente modificados (transgênicos). As informações são da Dow Jones.     Expansão do G8   Nicholas Sarkozy também se mostrou a favor de expandir o G8. O presidente francês quer incluir as nações emergentes, entre elas Brasil e México. Em entrevista publicada nesta segunda-feira, 7, pelo jornal japonês Yomiuri, Sarkozy diz que o G8 deveria promover o diálogo com as nações emergentes do G5, que é integrado por Brasil, China, Índia, África do Sul e México.   O presidente francês indicou que o G8 precisa expandir-se para demonstrar que toma decisões "com justiça", em referência à crescente relevância dos países emergentes no mundo. Sarkozy afirmou este fim de semana em Paris que "não é justo nem razoável" que apenas oito países se reúnam para discutir os problemas do mundo, quando este é "universal".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.