Sars pode reduzir crescimento dos EUA, diz economista

A epidemia da pneumonia asiática (Sars -(Síndrome Respiratória Aguda Severa) poderá reduzir o já baixo crescimento da economia norte-americana, disse o economista Donald Straszheim. Na situação atual, a Sars poderá reduzir "alguns décimos" na projeção de crescimento de 2% para o PIB norte-americano este ano, disse . Se a situação piorar, todo o crescimento em 2003 poderá ser eliminado, afirmou.Straszheim disse não acreditar que se confirmará o pior cenário, mas afirmou que a possibilidade existe e deve ser considerada. "Todos os empresários devem discutir e planejar a respeito", afirmou. Segundo ele, não faz sentido dizer que a epidemia não pode chegar aos EUA. "Imaginem se uma pessoa infectada com o vírus aparecer num pregão em Nova York, num cassino em Las Vegas, numa grande feira comercial ou num grande evento esportivo. O risco de profundo prejuízo econômico está aí", afirmou.Enquanto Straszheim falou em termos gerais sobre os impactos da Sars, os bancos de investimentos de Wall Street divulgaram hoje avaliações sobre possíveis impactos para setores ou companhias em particular. Numa teleconferência com clientes, os analistas do setor de semicondutores do JP Morgan disseram que a China responde por 15% da demanda mundial por telefone celular e 10% das vendas de computadores pessoais.O resultado poderá ser um impacto significativo sobre a receita da Texas Instruments, RF Micro Devices e Triquint Semiconductor no que se refere a telefones celulares, e para a Intel e Advanced Micro Devices, em relação aos Pcs.O JP Morgan também rebaixou a recomendação da Boeing de neutra para abaixo do mercado e cortou a estimativa de lucros da empresa para 2004 em parte porque a divisão de aviões comerciais é muito dependente das entregas para as companhias áreas da Ásia.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.