Saúde foi área técnica que gerou mais postos de trabalho entre 2009 e 2012

Foram criados mais de 400 mil postos de trabalho para técnicos de nível médio no Brasil, quase 100 mil só na área da saúde 

Ayr Aliski, da Agência Estado,

03 de julho de 2013 | 11h20

BRASÍLIA - Entre 2009 e 2012, foram criados 402.490 postos de trabalho para técnicos de nível médio no Brasil.

Os técnicos da ciência da saúde humana (entre os quais estão técnicos e auxiliares de enfermagem, técnicos em próteses ou em imobilizações ortopédicas, técnicos em odontologia, técnicos em óptica e em optometria, e tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas) formaram o grupo que mais viu expandir suas oportunidades de emprego nesse período. A cada cem novos postos de trabalho abertos para técnicos de nível médio entre 2009 e 2012, entre 24 e 25 foram preenchidos por esta categoria.

A análise considera informações do Cadastro Geral de empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Os dados são do estudo "Perspectivas profissionais - nível técnico e superior", divulgado nesta quarta-feira, 3, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Em segundo lugar vieram os técnicos em eletroeletrônica e fotônica (categoria que envolve os técnicos em eletricidade e eletrotécnica, os técnicos em eletrônica, os técnicos em telecomunicações, os técnicos em fotônica e os técnicos em calibração e instrumentação). A cada cem novas contratações de técnicos de nível médio, pelo menos 11 se enquadravam nesta categoria.

Os técnicos de nível médio em operações comerciais (vendedores, representantes comerciais autônomos, corretores de seguros, corretores de imóveis, técnicos em serviços de turismo e em organização de eventos, entre outros) formam o grupo que aparece em terceiro lugar em número líquido de postos de trabalho. Dez em cada cem novos empregos para técnicos de nível médio no período foram ocupados por esses profissionais.

O salário real médio dos profissionais de nível técnico teve alta real no período. Houve certa estabilidade durante o início de 2009, mas o ritmo de crescimento dos salários destes profissionais acelerou-se desde então, destaca o Ipea. Como resultado dessa evolução, o salário médio nesse segmento aumentou de cerca de R$ 1.280, em janeiro de 2009, para cerca de R$ 1.410 em dezembro de 2012. Esta elevação representa ganho salarial real de cerca de 10%.

As ocupações que apresentaram maiores ganhos salariais foram os técnicos em operação de câmara fotográfica, cinema e televisão (aumento real de 51,1%), os técnicos de inspeção, fiscalização e coordenação administrativa (alta de 41,6%) e os técnicos em laboratório (ganhos de 29,3% nos salários).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.