Roosevelt Cassio|Reuters
Roosevelt Cassio|Reuters

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Saudi Aramco admite que funcionário recebeu propina da Embraer

Empresa saudita disse que uma investigação interna concluiu que o funcionário recebeu propinas da Embraer para facilitar a compra de três jatos regionais E-170

Dow Jones Newswires

28 de outubro de 2016 | 10h46

LONDRES - A Saudi Aramco, petrolífera estatal da Arábia Saudita, confirmou hoje ter provas de um caso de corrupção envolvendo um de seus funcionários e a Embraer.

Em comunicado, a empresa saudita disse que uma investigação interna, ocorrida há alguns anos, concluiu que o funcionário recebeu propinas da Embraer para facilitar a compra de três jatos regionais E-170.

Segundo a Saudi Aramco, a descoberta a levou a aplicar "ações disciplinares máximas" contra o ex-funcionário.

A Embraer entregou os aviões a Saudi Aramco em 2010.

A admissão de corrupção pela Saudi Aramco é rara e veio após a Embraer ser multada em US$ 205,5 milhões por autoridades dos EUA e Brasil, por irregularidades semelhantes reveladas numa investigação que se estendeu por seis anos.

A Embraer supostamente teve lucro de US$ 83 milhões sobre contratos que envolveram o pagamento de US$ 11,7 milhões em propinas. Os acordos foram fechados com Arábia Saudita, Índia, Moçambique e República Dominicana, no período de 2007 a 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
Arábia SauditaEmbraerBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.