Divulgação/ Scania
Divulgação/ Scania
Conteúdo Patrocinado

Scania investe em soluções variadas para reduzir emissão de carbono

Aposta da companhia para solução ambiental está na eletrificação e no uso de biocombustíveis

Scania, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

09 de dezembro de 2021 | 10h16

Com a intenção clara de reduzir emissões e sua pegada de carbono, a Scania vai trabalhar firme ao lado de fornecedores e clientes até chegar a um ecossistema de transporte e logística com baixa emissão, como conta seu diretor institucional para a América Latina, Gustavo Bonini.

“Assim como as diferentes formas de transporte se complementam [caminhões, trens, aviões e navios], a Scania acredita que a utilização de soluções variadas, como eletrificação e biocombustíveis será fundamental para alcançar seus objetivos de redução de emissões locais e globais”, diz o executivo.

Ele recorda que a fabricante está atenta no Brasil ao potencial dos biocombustíveis por causa do crescimento do setor agrícola e de políticas públicas nesse sentido. Essa jornada da Scania começou em 2016, quando a empresa anunciou seu compromisso mundial de oferecer soluções em transporte sustentável.

“Temos investido em todas as tecnologias existentes para o transporte, o que inclui eletrificação, mas também biodiesel, diesel verde, etanol, gás, gás renovável, todos fundamentais. Entendemos que o mercado achará o melhor momento e a maior vocação de uma aplicação em cada região”, estima Bonini.

Todas essas alternativas permitem a diminuição da dependência do diesel e, como consequência, a redução de emissões de gases de efeito estufa. Para o Brasil, a empresa reforça sua crença no gás renovável, também chamado de biogás, já que ele deixa de ser um problema ambiental para se tornar uma solução quando empregado no transporte ou na geração de energia. “O Brasil já tem biomassa suficiente para substituir 70% do diesel utilizado no transporte”, afirma Bonini.

É possível resolver uma série de problemas quando se investe em gás renovável. "Seu potencial está na indústria sucroenergética, na agricultura, na pecuária e no saneamento básico. É fundamental olhar o ciclo do gás renovável”, diz o diretor da Scania, recordando que esse combustível permite a diminuição da dependência do diesel e, como consequência, a redução de emissões de gases de efeito estufa.

A Scania tem no Brasil uma equipe com 270 profissionais de engenharia que irá liderar globalmente as futuras melhorias nos veículos a gás. As condições de clima e relevo do País servirão para testar cada solução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.