Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Scania lança nova geração de caminhões 'mais limpos'

Produção na fábrica do ABC começa em outubro e inclui modelos movidos a GNV e biometano

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2018 | 11h33

A Scania vai suspender nesta quinta-feira, 2, todas as atividades da fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, por uma hora e meia, a partir das 15h. O motivo é a participação dos 4,3 mil trabalhadores em uma ação inédita de pré-lançamento da nova geração de caminhões da marca que começará a ser produzida em outubro.

Entre as novidades da nova linha estão veículos movidos exclusivamente a gás natural, biometano e bioetanol. De acordo com a montadora, “serão os primeiros caminhões movidos a GNV/biometano do mundo”.

Já os modelos a diesel terão motores 12% mais econômicos que os atuais. Além disso, a nova plataforma está preparada para a produção futura de veículos híbridos e elétricos.

A produção dos novos veículos começará em outubro e as entregas aos clientes estão previstas a partir de fevereiro, informa Christopher Podgorski, presidente da Scania América Latina.

Projeto consome R$ 1,5 bilhão

Para o lançamento da nova geração de veículos, a fábrica do ABC passou por várias mudanças no sistema produtivo e ainda ficará parada por duas semanas em janeiro para os últimos preparativos.

O projeto consumiu R$ 1,5 bilhão, 60% do investimento de R$ 2,6 bilhões programados para o período de 2016 a 2020. Inclui também a adoção de um novo conceito de vendas em que os funcionários das concessionárias serão treinados para atuar como consultores.

“O cliente vai dizer para qual uso quer o caminhão e o concessionário poderá indicar a melhor opção entre as 35 diferentes aplicações que estarão disponíveis”, afirma Podgorski.

A nova linha chega ao País dois anos após seu lançamento na Europa, onde grandes empresas de logística, como a Havi, que transporta produtos alimentícios para a rede McDonald’s, contabiliza redução de 2% nos custos e de 27% nas emissões de poluentes após substituir sua frota a diesel por veículos movidos a gás natural e biogás.

Novo posicionamento sustentável

Apesar de resistências no passado, o GNV será defendido pela Scania como alternativa economicamente viável e menos poluente e uma opção de rápida aplicação até que o mercado brasileiro esteja preparado para adotar o biometano e outras tecnologias, como motores eletrificados e célula a combustível.

“O GNV tem um custo de operação inferior ao diesel, além de um índice de emissão de poluentes até 70% menor, o que vai ao encontro do nosso compromisso com a sustentabilidade”, diz Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania Brasil.

Para marcar o que a Scania está chamando de “novo posicionamento visando o transporte sustentável”, a empresa vai interromper a produção das 15h às 16h30 para a apresentação dos  veículos. Dois deles partirão para uma viagem por Brasil, Argentina, Chile e Peru com equipes que farão vídeos com moradores que tenham “histórias de atitude” para contar.

Mais conteúdo sobre:
Scania caminhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.