Schering esclarece sobre rótulo de Vitamina C

O laboratório Schering-Plough S/A esclareceu hoje, por meio de uma nota oficial, que vai alterar o rótulo do produto Vitamina C Comprimidos, conforme determinação da Fundação Procon- SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual. A empresa informou que fará mudanças na embalagem externa deste medicamento, a partir de abril de 2003, no que diz respeito à administração dos comprimidos. O Procon-SP anunciou ontem que as partes assinaram Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta para a mudança da embalagem do produto. Segundo o órgão, o produto oferecia risco ao consumidor porque não tinha informações claras quanto ao modo de usar. (veja o link abaixo).A Schering ressaltou, em sua nota oficial, que o produto Vitamina C não oferece riscos ao consumidor, pois se encontra em total acordo com as normas de aprovação e comercialização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Confira abaixo, na íntegra, a carta resposta da empresa.A Indústria Química e Farmacêutica Schering-Plough S/A, fabricante desde 1948 do produto Vitamina C Comprimidos, informa que, conforme determinação da Fundação Procon, fará mudanças na embalagem externa deste medicamento, a partir de abril de 2003, no que diz respeito à administração dos comprimidos. No entanto, ressalta que o produto Vitamina C - 500 mg Comprimidos não oferece riscos ao consumidor, pois se encontra em total acordo com as normas de aprovação e comercialização da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Seu produto é apresentado na forma de comprimidos, que devem ser ingeridos com um pouco de líquido, sem mastigar. A Schering-Plough destaca ainda, que não fabrica Vitamina C efervescente. A partir de abril de 2003, Vitamina C - 500 mg Comprimidos, da Schering-Plough, contará com informações adicionais em sua embalagem externa sobre a maneira de administração de seu produto, conforme solicitação da Fundação Procon.A DiretoriaIndústria Química e Farmacêutica Schering-Plough S/ARio de Janeiro, 22 de novembro de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.