Schincariol diz que não foi autuada pelo Fisco

A Schincariol informou hoje que não foi autuada pelo Fisco em decorrência da chamada "Operação Cevada", criada pela Polícia Federal para desmantelar um esquema de sonegação fiscal no setor de bebidas e que acabou resultando na prisão dos dirigentes da companhia. Em um comunicado veiculado na imprensa, a companhia disse que não teve conhecimento das infrações que lhe foram atribuídas, acrescentando que outras empresas "inclusive do mesmo ramo de atividade, sofreram recentemente graves autuações fiscais sem que, no entanto, houvessem provocado repercussão penal"."Note-se que, no entanto, a empresa não foi sequer autuada pelo Fisco em decorrência da aludida operação, desconhecendo-se por completo quais infrações fiscais/tributárias eventualmente a ela imputadas", afirmou a Schincariol, no documento. A empresa acrescentou que suas obrigações trabalhistas, fiscais e sociais são "rigorosamente cumpridas" nas respectivas datas de vencimento e especificou valores aproximados de R$ 13,5 milhões referentes à folha de pagamento em maio de 2005; R$ 3,9 milhões no mesmo período em encargos sociais; R$ 1,2 bilhão em tributos em 2004 e R$ 700 milhões em 2005.Além disso, a Schincariol caracterizou como "injustas" e "desnecessárias" as prisões de seus dirigentes, acrescentando que a atual situação coloca em risco a "própria sobrevivência da empresa, quer pela impossibilidade de ser administrada, quer pela impossibilidade de honrar seus compromissos com fornecedores, Fisco e próprios empregados".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.