Schlumberger, de serviços para campos de petróleo, comprará Smith por US$ 11 bi

Transação ainda requer a aprovação dos acionistas das duas companhias e deve ser fechada no 2º semestre

Marcílio Souza, da Agência Estado,

22 de fevereiro de 2010 | 10h27

A Schlumberger vai comprar a Smith International por cerca de US$ 11 bilhões, numa transação totalmente em ações. A maior aquisição global deste ano consolidará a Schlumberger como a maior fornecedora de serviços para campos de petróleo do mundo. A receita do grupo combinado será praticamente o dobro da de sua concorrente mais próxima, a Halliburton, embora muitos analistas esperem que a Schlumberger venda alguns ativos por razões antitruste.

 

Segundo os termos do acordo, os acionistas da Smith receberão 0,6966 ação da Schlumberger para cada ação que possuem, o que significa um prêmio de 37,5% sobre o preço do papel da Smith no fechamento de quinta-feira, quando as notícias sobre o acordo apareceram. A transação ainda requer a aprovação dos acionistas das duas companhias e deverá ser fechada no segundo semestre deste ano. Os acionistas da Smith deterão cerca de 12,8% da companhia combinada.

 

O preço da compra, de US$ 11 bilhões, é superior às previsões da maior parte dos analistas. O analista Dan Pickering acredita, no entanto, que o acordo faz sentido para Schlumberger, que agora pode empacotar as operações da Smith em seus próprios serviços para ganhar mais negócios. Na sexta-feira, as ações da Smith dispararam 13%, enquanto as da Schlumberger caíram 2,9%.

 

A compra da Smith tornará a Schlumberger, que mantém escritórios em Houston, Paris e Haia, um player importante em uma das poucas áreas do setor na qual ainda não possui uma presença significativa: a fabricação de brocas de perfuração. A Schlumberger também passará a ter controle total da M-I Swaco, as operações de fluidos de perfuração que eram compartilhadas entre as duas companhias desde 1999.

 

A transação é a mais recente de uma série de fusões no setor, já que as companhias de serviços de petróleo buscam aumentar sua escala. Em maio do ano passado, a Weatherford International concordou em pagar perto de US$ 500 milhões pela russa TNK-BP. Em agosto, a Baker Hughes adquiriu a BJ Services por US$ 5,5 bilhões. As informações são da Dow Jones.  

Tudo o que sabemos sobre:
Schlumberger, Smith, compra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.