finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Scotiabank compra banco na Colômbia e mira o Brasil

O Scotiabank fechou acordo para comprar uma participação de 51% no Banco Colpatria, da Colômbia, num negócio estimado em cerca de US$ 1 bilhão, dos quais US$ 500 milhões serão pagos em dinheiro e o restante em ações. Brian Porter, chefe da divisão internacional do grupo, disse que o Scotiabank também quer expandir seus negócios no Brasil e no Chile.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

20 de outubro de 2011 | 16h13

"Cada um destes países tem sua própria dinâmica", ele disse. "Nós olhamos para diferentes oportunidades nestes países de tempos em tempos e, em certos aspectos, achamos as valuations muito elevadas ou organizações com culturas diferentes, que não se encaixam na forma como queremos administrá-las. Somos compradores disciplinados e seletivos", afirmou em entrevista à Dow Jones.

O Scotiabank é o terceiro maior banco do Canadá por ativos e já tem operações no Peru, Panamá, Brasil, Uruguai, Costa Rica, Guatemala, Chile, El Salvador, Guiana, Nicarágua, Belize e Venezuela. Em 2010, entrou na Colômbia com a compra da divisão de negócios corporativos do Royal Bank of Scotland. Com o Colpatria, o Scotiabank agora entra no varejo bancário no país. O Colpatria é o quinto maior grupo financeiro da Colômbia, com ativos de US$ 6,2 bilhões e depósitos de US$ 4,2 bilhões.

O acordo vinha sendo trabalhado há pelo menos seis meses, mas o Scotiabank já avaliava o mercado colombiano antes, disse Porter. O banco vai olhar as novas oportunidades de investimento ou aquisição na Colômbia, se elas surgirem, acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ScotiabankColômbiaColpatria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.