Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

SDE abre ato sobre possível compra da GVT pela Telefônica

Secretaria analisará se o negócio será benéfico ou não para o mercado do ponto de vista concorrencial

GERUSA MARQUES, Agencia Estado

04 de novembro de 2009 | 12h19

A pedido da Telefônica e da GVT Holding, a Secretaria de Direito Econômico (SDE), do Ministério da Justiça, abriu um ato de concentração referente à possível compra da GVT pela empresa. O ato de concentração foi publicado pela SDE na edição desta quarta-feira, 4, do Diário Oficial da União. A SDE analisará, no ato de concentração, se o negócio será benéfico ou não para o mercado do ponto de vista concorrencial.

O parecer da SDE não está entre as três condições básicas definidas pela Telefônica para a compra da GVT. A primeira das três condições foi atendida pela GVT ontem, quando seu Conselho de Administração decidiu eliminar restrições à venda. A segunda condição, a ser cumprida, é a concessão de anuência prévia ao negócio pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Fontes da agência disseram que a intenção é a de colocar o assunto em pauta até o próximo dia 19. A terceira condição é a de que mais de 50% dos acionistas da GVT aceitem vender suas ações.

A Telefônica fez, no início do mês passado, uma oferta pública pela GVT. Hoje, a empresa controlada pelo grupo espanhol elevou o preço da oferta pública voluntária para aquisição de até 100% das ações da GVT a R$ 50,50 por ação. No dia 7 de outubro, a empresa anunciava oferta pelo preço de R$ 48,00 por papel, com pagamento em dinheiro, o que daria um investimento total de aproximadamente R$ 6,5 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
telefoniaSDETelefônica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.