Se BC perseguir meta de 2005 de 4,5%, Selic ficará acima de 20%

A Comissão de Acompanhamento Macroeconômico da Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima) acredita que, se o compromisso do Banco Central for perseguir o centro da meta de inflação de 4,5% para 2005, a taxa básica de juros, a Selic, subirá para um patamar superior a 20% ao ano.Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), realizada nesta semana, a taxa subiu 0,5 ponto porcentual - de 16,75% para 17,25% ao ano. Vale destacar ainda que o BC já considerou que a meta ser perseguida em 2005 será de 5,1% - centro da meta de inflação de 4,5% mais 0,6 ponto porcentual referente à inércia inflacionária.Ao divulgar nesta manhã as projeções para a economia no próximo ano, o grupo ponderou que há um consenso entre seus membros de que a estratégia gradualista de elevação dos juros ainda não surtiu "efeito relevante" sobre as expectativas inflacionárias e também sobre a demanda. Assim, a expectativa é de que os juros continuem a subir "até um patamar bem mais elevado do que atual, em horizonte de tempo que ultrapassaria o ano de 2004".De acordo com a comissão da Andima, os juros atuais não foram capazes de afetar o nível de confiança do consumidor, o que poderia ser explicado pelo fato de que, após vários momentos de turbulências internas e externas, o Brasil vive um período de dois anos sem crises. "Este ambiente de tranqüilidade estaria levando a população a ampliar seus níveis de endividamento, independentemente dos patamares nominais das taxas de juros", afirma o grupo, em nota distribuída.ProjeçõesO grupo da Andima também foi unânime em avaliar que, pelo menos metade da meta de 2005 (entre 2,5 e 3 pontos porcentuais) já está comprometida com a trajetória esperada de alguns preços administrados. Assim, se o BC for perseguir o centro da meta, o Copom terá que ser mais agressivo nas próximas reuniões, "a ponto de provocar um ajuste mais intenso na estrutura de juros da economia".De acordo com as projeções para 2005, a Andima prevê uma taxa Selic média ao ano de 17,2% e uma taxa de 16,1% no final de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.