Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Se Neymar vende até cuecas, por que não a Catalunha do Barcelona?

Governo catalão abre escritório em São Paulo para tentar levar mais brasileiros para a terra onde joga o garoto propaganda das cuecas Lupo e de dezenas de outros produtos

Economia & Negócios,

16 de abril de 2014 | 12h03

SÃO PAULO - Se o craque brasileiro Neymar Jr. vende até cuecas, porque não ajudar a vender os destinos turísticos da Catalunha, região da Espanha que tem como capital Barcelona?

Para aproveitar a fama de Neymar e tentar abocanhar uma fatia dos gastos dos brasileiros no exterior, que não param de crescer, o governo da Catalunha acaba de abrir um escritório da Agência Catalã de Turismo em São Paulo.

O escritório é espartano e privatizado, por causa da crise econômica na Espanha, mas é bem localizado na Avenida Juscelino Kubitschek. O diretor do escritório, Joan Romero, é um catalão radicado há três anos no Brasil, e venceu a licitação aberta pelo governo para promover o turismo internacional.

O escritório brasileiro é o 12º fora da Catalunha e como os demais tem a missão de garantir o funcionamento imune à crise econômica, o do turismo.

A Catalunha recebe anualmente 15 milhões de turistas. No ano passado foram 142 mil brasileiros, 4% a mais do que no ano anterior.

 

Brasileiros. "Queremos mais brasileiros, pois eles gastam muito mais do que a média dos demais turistas", afirma Joan Romero. Os dados do governo Catalão indicam que os brasileiros gastam em média 204 euros por dia (R$ 630,00), incluindo todas as despesas. A média internacional é de 113 euros por dia (R$ 349,00).

"Seria ótimo se conseguíssemos negociar um contrato com o Neymar, mas estamos avaliando as nossas possibilidades por enquanto", afirma Romero, que também pretende negociar aparições da Catalunha em novelas.

A prioridade no momento é levar empresários de hotéis e agências de turismo para negociar pacotes de viagem e ampliar o número de ofertas. "O potencial do mercado brasileiro é muito favorável, com aumento de renda e grande disposição para viagens e compras internacionais", afirma o representante do governo catalão.

Este será o 'Ano do Turismo Família', com concentração de roteiros que privilegiem também o lado enograstronômico da região.

 

"Queremos atuar fortemente para colocar a região como opção quase natural na hora dos brasileiros definirem seus destinos de férias", afirma Romero. Segundo ele, a abertura dessa frente reforça a presença catalã nos mercados nos quais há grandes possibilidades de crescimento do fluxo turístico.

Para Felip Puig, ministro do Turismo da Catalunha, o objetivo é aumentar o fluxo de turistas internacionais na região, a partir da atuação cada vez mais em melhores mercados.

O escritório de São Paulo irá promover o turismo catalão em mercados como Brasil, Argentina, Chile, Peru e Colômbia.

Tudo o que sabemos sobre:
CAtalunhaTurismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.