Se Selic cair, bancos repassarão ao crédito, avalia Febraban

O presidente da Federação Brasileira das Associações de Bancos (Febraban), Gabriel Jorge Ferreira, disse estar confiante na redução hoje da Selic, a taxa básica de juros da economia. Ele acrescentou que, havendo uma nova queda da taxa de juros, imediatamente os bancos vão repassar a queda para os tomadores de crédito. Ele lembrou que na redução da Selic no mês passado ? de 24,5% para 22% ao ano ?, logo em seguida algumas instituições anunciaram a redução de suas taxas. Segundo Ferreira, desde as últimas três reduções da taxa básica feitas pelo Comitê de Política Monetária (Copom), o sistema financeiro já fez uma redução média da ordem de 10% no custo do dinheiro. Ferreira disse que a redução da Selic vai beneficiar ainda mais o programa de crédito com consignação em folha, lançado hoje pelo governo em cerimônia no Palácio do Planalto. Ele espera uma demanda grande para o programa, mas afirmou ser difícil estimar quanto de recursos o programa irá movimentar. Ele acrescentou que o crédito de pessoa física de todo o sistema financeiro está em R$ 85 bilhões. O presidente da Febraban também voltou a defender uma nova rodada de redução dos depósitos compulsórios ? parcela de recursos que os bancos recolhem ao Banco Central. Ele afirmou que os compulsórios continuam em níveis considerados altos, lembrando que em 2001 o compulsório sobre depósito a prazo era zero e o da poupança estava em 20%. "Hoje, é de 30%", afirmou.

Agencia Estado,

17 de setembro de 2003 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.