Seade/Dieese: desemprego em SP cai para 14,2% em abril

A taxa de desemprego permaneceu estável na região Metropolitana de São Paulo no último mês de abril, com 14,2% da população economicamente ativa (PEA). Em março, esta taxa foi de 14,3%. O dado de abril é o mais baixo desde fevereiro, quando a variação encontrada foi de 13,6%.Estas informações constam da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), da Fundação Seade e do Departamento Intersindical de Estatística e de Estudos Sócio Econômicos (Dieese). Em abril, o número de desempregados na região foi estimado em 1,488 milhão de pessoas, ante 1,487 milhão no mês anterior. No período em análise foram criados, de acordo com as instituições, 76 mil postos de trabalho, número semelhante ao de pessoas que entraram no mercado de trabalho da região (77 mil).Analisando os componentes da taxa de desemprego, o índice oculto diminuiu de 4,7% para 4,4%, enquanto a de desemprego aberto passou de 9,6% para 9,8%. A pesquisa da Fundação Seade/Dieese é dividida também em três subíndices: o específico do município de São Paulo; o da região do ABC, e dos demais municípios da região metropolitana. Nos três domínios geográficos, a taxa de desemprego total pouco variou entre março e abril no município de São Paulo (de 13,7% para 13,5%), e na região do ABC (de 12% para 11,8%), e manteve-se estável em 15,2% nos demais municípios da região.Entre fevereiro e março, os rendimentos médios reais dos trabalhadores da região metropolitana de São Paulo mostraram elevação pelo segundo mês consecutivo. Os trabalhadores assalariados tiveram incremento de 4,6%, passando para uma média de R$ 1.274,00, enquanto os ocupados registraram ganho de 3,8%, passando para R$ 1.202,00. A massa de rendimentos dos ocupados cresceu 3,7% e a dos assalariados 5,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.