finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Seade/Dieese: em 6 capitais, desemprego cai para 15%

A taxa de desemprego recuou de 15,5% para 15%, de setembro para outubro, em seis regiões metropolitanas avaliadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) da Fundação Seade e o Dieese. Estão nesse levantamento Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e o Distrito Federal.A estimativa é que o total de desempregados nas seis regiões era de 2,945 milhões de pessoas em outubro, 62 mil a menos do que em setembro. Segundo a composição da pesquisa, a taxa de desemprego aberto decresceu de 10,5% para 10,3%, enquanto a do desemprego oculto recuou de 5% para 4,8%.OcupaçãoNo mês passado, o nível de ocupação cresceu 1,4%, em relação a setembro. O número de postos de trabalho gerados (224 mil) superou o de pessoas que entraram no mercado de trabalho (161 mil). O total de ocupados nas seis regiões passou a ser estimado em 16,644 milhões de pessoas e a População Economicamente Ativa (PEA) em 19,589 milhões.Nos últimos 12 meses, o nível de ocupação no conjunto das regiões pesquisadas aumentou 3,5% e também interrompeu a desaceleração observada nos três últimos meses: 4,3%, em junho; 3,9%, em julho; 3,6%, em agosto e 3%, em setembro. "Este crescimento, no entanto, ficou abaixo do verificado na mesma base de comparação do ano anterior (4,1%)", identificaram os técnicos das instituições.RendimentoEntre agosto e setembro deste ano, houve um aumento do rendimento médio real dos ocupados de 1,1%, e o dos assalariados, de 1,4%. Esses valores médios passaram a equivaler a R$ 1.061,00 e R$ 1.140,00, nas seis regiões pesquisadas. Em setembro, nessa mesma amostragem, as massas de rendimento reais de ocupados cresceram 1,5%, enquanto as dos assalariados subiram 1,9%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.