Seae: congelamento dos remédios continua

A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda informou que os 11.390 tipos de medicamentos à venda no País manterão, em novembro, os mesmos preços cobrados em junho deste ano. Conforme o acordo firmado entre o governo e a indústria farmacêutica, em agosto, os valores dos remédios vendidos no Brasil ficarão inalterados até 31 de dezembro deste ano. Neste prazo, o governo deve apresentar uma regulamentação para o setor. No acordo, ficou definido que o valor dos medicamentos teria como base os preços cobrados em junho. A Seae ressalta que dez medicamentos tiveram seus preços reduzidosQuatro apresentaram aumento: Carbonato de cálcio (500 mg - nas versões com 200 e 1.000 comprimidos) do laboratório Nutrovit; e supositório de glicerina, também em duas versões (adulto e infantil, caixa com cinco unidades), fabricado pelo laboratório Medic. Estes dois laboratórios foram chamados pela Seae e têm dez dias para apresentar justificativas ao Ministério da Fazenda sobre o reajuste aplicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.