Seae evita fazer recomendação sobre compra da Garoto

A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae), do Ministério da Fazenda, divulgou seu parecer sobre a compra da Chocolates Garoto pela Nestlé. O parecer aponta duas linhas de conduta que poderão ser adotadas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Segundo o secretário de Acompanhamento, Cláudio Considera, a Seae optou por um parecer sem uma recomendação específica ao Cade, ao qual caberá fazer seu julgamento em cima dos fatos apresentados no relatório, de 44 páginas, sobre a operação de compra.A Seae argumenta que a operação poderia resultar em exercício de poder de mercado pela empresa resultante da compra e considera que os ganhos de eficiência decorrentes da operação não seriam suficientes para aprová-la. O parecer, no entanto, ressalva que as pesquisas de opinião junto aos consumidores indicam que a fidelidade à marca entre as três principais indústrias de chocolates atuantes no País - Nestlé, Garoto e Lacta - não é evidente. Nesse sentido, o parecer da Secretaria afirma que os produtos oferecidos pelas três empresas no mercado de tabletes e caixas de bombons poderiam ser considerados homogêneos, o que anularia o poder de mercado da Nestlé e da Garoto. No caso de o Cade levar em conta o resultado das pesquisas, o ato de compra da Garoto pela Nestlé poderia ser aprovado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.