coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Seae quer processar empresas de papéis por formação de cartel

A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda encaminhou hoje à Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça pedido de abertura de processo administrativo contra as empresas Klabin Kimberly S/A, Santher Fábrica de Papel Santa Therezinha S/A, e Melhoramentos Papéis Ltda., por formação de cartel. De acordo com levantamento feito pela Seae, as três empresas reduziram simultaneamente a metragem dos rolos de papel higiênico que produzem. Pelos dados apurados pela Secretaria do Ministério da Fazenda, houve também simultaneidade no envio de comunicados aos supermercados sobre a mudança, nos pedidos de embalagens aos fornecedores e das notas fiscais de venda dos produtos com a nova metragem, de 30 metros ao invés dos tradicionais 40 metros. Os técnicos da Seae argumentam que existem contradições nas explicações apresentadas por cada empresa em relação a mudança na metragem dos rolos de papel higiênico. Pelos cálculos preliminares do corpo técnico da Seae, estima-se que, num período de seis meses, a redução da metragem proporcionou uma transferência de R$ 60 milhões por parte dos consumidores, que passaram a ter um produto menor, para as empresas, que ampliaram assim seus lucros.

Agencia Estado,

28 de maio de 2002 | 12h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.