Seae recomenda que compra da Quattor por Braskem seja aprovada

A Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda (Seae) divulgou nesta quarta-feira parecer em que recomenda que a compra da petroquímica Quattor pela Braskem seja aprovada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

REUTERS

22 de setembro de 2010 | 16h59

"Seja pela baixa participação das requerentes nos mercados internacionais, seja por questões técnicas inerentes à indústria petroquímica, verificou-se baixa possibilidade de exercício de poder de mercado pela Quattor ou pela Braskem", segundo a Seae.

Entretanto, no que se refere ao Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), a Seae afirmou que, por não haver no momento "definição de como será o modelo do referido complexo petroquímico, relação de produtos a serem fabricados, tecnologia, capacidade produtiva, etc.", as alterações previstas deverão ser objeto de nova análise.

Atualmente, a Petrobras possui 100 por cento do capital total e votante na Comperj, mas a estatal prevê a entrada de potenciais sócios, como a Braskem, que já discute sua eventual entrada no projeto.

Antes de ir ao Cade, o assunto deverá receber ainda parecer da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça (SDE).

A compra da Quattor pela Braskem, anunciada em 22 de janeiro, criou a maior petroquímica das Américas. A companhia espera que a integração das empresas gere sinergias de 400 milhões de reais anuais no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês).

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
PAPELBRASKEMSEAE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.