Seara se recusa a reduzir o preço de produtos

Nas gôndolas, o preço dos produtos da Seara é mais baixo que o da Sadia e mais caro do que a Perdigão. Nos últimos três anos, o Marfrig tem tido dificuldade de ganhar mercado com esse posicionamento, criticado pelo mercado, que defende a redução dos preços da marca. O executivo David Palfenier, no entanto, descarta essa estratégia, apesar de a Seara ter ficado praticamente fora do mercado até 2009, quando ainda pertencia à multinacional Cargill. Ele diz que a empresa tem conseguido pequenos avanços, com um valor entre 5% e 10% inferior ao da Sadia. "Não acreditamos em desconto demasiado em relação à Sadia, apesar de a Perdigão ser uma pedra no nosso sapato", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.