Sebrae aponta queda no faturamento das micro e pequenas empresas

O faturamento real das micro e pequenas empresas (MPEs) do Estado de São Paulo registrou queda de 10% em abril deste ano na comparação com o mesmo mês de 2003. Em relação a março de 2004, o recuo foi de 5,7%. Essa retração resultou em uma perda de R$ 980 milhões, segundo informa a Pesquisa de Conjuntura divulgada hoje pelo Sebrae-SP. Em abril deste ano, as MPEs registraram um faturamento médio de R$ 15.567,00.A queda do poder de compra por parte dos consumidores teve impacto no fraco desempenho das micro e pequenas empresas em abril, na avaliação dos técnicos do Sebrae. Além disso, o efeito calendário influenciou no faturamento dos pequenos negócios, já que o mês de abril teve menos dias úteis (20) em relação a março (23).De acordo com os analistas, a taxa de juros também impactou no resultado de abril das micro e pequenas empresas. "A recuperação do faturamento das micro e pequenas empresas dependerá da melhora do poder aquisitivo da população", ressalta o gerente de Pesquisas do Sebrae-SP, Marco Aurélio Bedê.Pessoal ocupado e regiõesO nível de pessoal ocupado nas micro e pequenas empresas registrou sua primeira queda em abril (1,5%) desde janeiro de 2004. Com isso, houve um corte de 72 mil vagas, de acordo com o levantamento. A indústria foi o setor que apresentou o porcentual mais baixo do faturamento real em abril, ante igual período de 2003 (11,4%). No acumulado de 12 meses, a indústria faturou menos 5,5%. O faturamento do comércio na análise mensal caiu 3,6% e, na anual, teve queda de 10,1%.O levantamento aponta que a região metropolitana de São Paulo apresentou queda de 6,4% do faturamento real em abril em relação a março, e de 11,6% na comparação anual. No interior, as micro e pequenas empresas faturaram 4,9% a menos em abril ante março e 8,3% inferior ao registrado em abril do ano passado. No Grande ABC o faturamento real das micro e pequenas empresas, tanto para o mês quanto na comparação anual, ficaram negativas. Queda de 3,7% e queda de 11,7%, respectivamente.PesquisaA Pesquisa de Conjuntura é feita com 2,7 mil micro e pequenas empresas da indústria de transformação, comércio e serviços do Estado de São Paulo. O estudo avalia o faturamento real, o nível de pessoal ocupado e o gasto total com salários das micro e pequenas empresas, que representam 99% das empresas na economia paulista e são responsáveis por 67% das ocupações do setor privado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.