Sebrae disponibiliza recursos para microcrédito

O Sebrae vai disponibilizar R$ 7,4 milhões para microcrédito. A informação é de José Luiz Ricca, diretor superintendente do Sebrae-SP, que afirma que a linha de financiamento está dentro da decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de destinar recursos para pequenos empreendimentos, para gerar renda e inclusão social. Os recursos serão repassados a um custo para o tomador de 12% ao ano, que é a Taxa de Juros a Longo Prazo (TJLP), utilizando recursos do BNDES. O financiamento será viabilizado pela formação do Fundo Sebrae de Investimento Financeiro, em convênio com o Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob), que passará os recursos para 27 OSCIP (Organização de Sociedade Civil de Interesse Público), que atuam com microcrédito. Segundo Ricca, cada organização terá o repasse máximo de R$ 300 mil. De acordo com Waldir Catanzano, gerente da Unidade de Apoio ao Financiamento e Capitalização do Sebrae-SP, o fundo é um novo passo do programa de microcrédito do Sebrae, que em dois anos liberou R$ 23 milhões. Esse novo fundo tem o Sebrae como único cotista, mas ele espera que em breve outras organizações, como o Banco Mundial e Banco Interamericano de Desenvolvimento, façam adesão ao Fundo Sebrae (FS) para que o volume de recursos e o número de organizações atendidas seja maior. A diretora da área de inclusão social do BNDES, Lucimar da Silva Guarneri, disse que a instituição está estimulando o mercado de microcrédito cobrando "apenas" a taxa de juros de longo prazo (12% ao ano) para que as organizações interessadas repassem os recursos a 2% ao mês, com operações individuais de R$ 1 mil. Para financiamentos entre R$ 1.001,00 e R$ 10 mil, Guarneri esclarece que a taxa cobrada pelo BNDES é de 8% ao ano acima da taxa de juros de longo prazo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.