Seca atrasa plantio de soja em Mato Grosso

O plantio de soja em Mato Grosso avançou pouco na última semana e já está bastante atrasado em relação ao mesmo período da safra passada, após um período praticamente sem chuvas desde o início de outubro, apontaram dados divulgados ontem pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

REUTERS, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2014 | 02h03

O trabalho de semeadura no principal Estado produtor da oleaginosa no País avançou, até o dia 16 de outubro, para apenas 9,3% da área total planejada pelos produtores, ante 8,4% uma semana antes.

Isso equivale a um plantio de apenas 78 mil hectares, de um total de 8,8 milhões de hectares previstos pelo Imea para a temporada 2014/2015 no Estado.

Em comparação, até a metade de outubro do ano passado, o plantio já alcançava 27,4% da área prevista. Ou seja, há um atraso de 18 pontos porcentuais este ano em relação a 2013..

Chuvas. Relatório da Somar Meteorologia de ontem mostra que, nas duas principais regiões produtoras da Mato Grosso - no centro e no sul do Estado -, o acumulado de chuvas em outubro está entre zero e 6 milímetros, em comparação com uma média histórica de mais de 135 milímetros para o mês.

A Aprosoja, associação que reúne sojicultores de Mato Grosso, disse na quarta-feira que o forte atraso no plantio vai reduzir a janela ideal de clima para o desenvolvimento da cultura e postergar a colheita, com riscos até mesmo para o potencial da safra.

Outra consequência é que a safra de Mato Grosso será colhida mais tarde, com redução de oferta do produto em janeiro, tipicamente um período de grande demanda. As negociações antecipadas de soja para entrega no primeiro mês de 2015 estão praticamente paradas no Centro-Oeste, de acordo com agentes do mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.