Seca e calor quebram safra de laranja

A estiagem nos pomares do parque citrícola comercial e as altas temperaturas - acima de 30 graus - deste inverno poderão provocar uma redução de até 25 milhões de caixas de laranjas processadas pela indústria de suco informou hoje a Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos (Abecitrus).A quantidade de caixas processadas pela indústria pode cair de 250 milhões para 225 milhões. A queda de 10% no processamento significaria até 100 mil toneladas de suco de laranja a menos na indústria, para uma previsão inicial de 1,1 milhão de toneladas na safra 2003/2004. Segundo a Abecitrus, deste total, pelo menos 40 mil toneladas já estão comprometidas, mesmo que chova bastante a partir do final de setembro.Além da estiagem no Brasil, as altas temperaturas na Europa, um dos maiores mercados da indústria citrícola nacional, aumentaram a demanda por sucos, principalmente o de laranja, em 13%, segundo a Abecitrus. Com a previsão de que a onda de calor européia siga por mais duas semanas, a entidade estima que essa demanda extra seja de 100 mil toneladas de suco."A queda de produção no Brasil e as 100 mil toneladas de demanda extra na Europa criam um vazio de 200 mil toneladas, no pior cenário", disse o presidente da Abecitrus, Ademerval Garcia. Caso isso seja confirmado, pode faltar suco de laranja ao final da safra, pois a indústria previa terminar esse período com algo em torno de 70 mil toneladas de estoque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.