Seca e crise na Argentina prejudicaram exportação de grãos em 2009

As vendas de cereais caíram 48,7% e as oleaginosas retrocederam 24,1% em comparação com 2008

Marina Guimarães, da Agência Estado,

21 de maio de 2010 | 08h39

As exportações de cereais da Argentina caíram 48,7% e as de oleaginosas retrocederam 24,1% durante o ano passado, em comparação com 2008, segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec). O retrocesso foi atribuído à forte seca e à crise internacional que prejudicou o comércio internacional, como justifica o organismo.

No total, as exportações atingiram US$ 55,66 bilhões em 2009, com queda de 20,5% em relação a 2008. Embora as vendas externas da soja tenham recuado 21,8%, a commodity voltou a mostrar que é a estrela argentina e foi o produto que mais se exportou em termos de valor: US$ 12,98 bilhões.

As vendas de milho, que chegaram a US$ 1,67 bilhão, registraram baixa de 53,3%. A exportação de trigo teve queda ainda maior: 54,5% (US$ 1,43 bilhão). O girassol recuou 46% (US$ 934 milhões). Para o Indec, os únicos produtos do setor agropecuário que tiveram aumento de venda em 2009 foram: carne bovina, com alta de 8,8%, totalizando US$ 1,9 bilhão; tabaco (6,9%); arroz (14,2%), algodão (9,7%) e carne caprina (20,7%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.