José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Seca leva IBGE a diminuir a projeção para a safra 2015

Projeção para a safra diminuiu 0,9%, para 199,6 milhões de toneladas; ainda assim, valor é recorde

DANIELA AMORIM, Agência Estado

10 de março de 2015 | 10h05

RIO - O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de fevereiro estima uma safra de 199,6 milhões de toneladas em 2015, um aumento de 3,5% em relação à produção de 2014, quando totalizou 192,8 milhões de toneladas, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, o montante foi 0,9% menor que o previsto em janeiro, com 1,8 milhão de toneladas a menos.

A estiagem que afeta sobretudo a Região Sudeste do País foi a principal responsável pela redução na estimativa. O País colherá 1,8 milhão de toneladas de grãos a menos este ano do que o previsto inicialmente, com destaque para a soja e o milho. A estimativa para o milho 1ª safra recuou em 880 mil toneladas em relação a janeiro; a produção de soja caiu em 628 mil toneladas; e a produção de milho de 2ª safra está menor em 161 mil toneladas.

"A estiagem é que está reduzindo essas informações em relação a janeiro", disse Mauro Andreazzi, gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE. "Mas a safra 2015 se mantém recorde, apesar dessa revisão", ressaltou.

Além da estiagem no Sudeste, o Centro-Oeste também registrou menos chuvas, o que atrasou o plantio de soja e aumentou o risco de apostar no milho de segunda safra, por causa da menor janela de plantio. "Como atrasou a soja, plantar o milho de segunda safra lá ficou arriscado. Pode não chover o suficiente. Então o que acontece nesse levantamento é que está aumentando a estimativa de sorgo, que é mais resistente ao clima seco", apontou Andreazzi.

Área colhida. País deve colher 57,2 milhões de hectares na safra de grãos em 2015, área 1,5% maior do que a colhida em 2014, quando totalizou 56,3 milhões de hectares. Arroz, milho e soja, os três principais produtos da safra, somam 91,5% da estimativa da produção e respondem por 85,3% da área a ser colhida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.