Seca no Sul ajuda Petrobras a utilizar excedente de gás

A seca que castiga o Sul do País está ajudando a Petrobras a dar destino ao excedente de gás no mercado brasileiro. Com reservatórios vazios e hidrelétricas paralisadas, a Região Sul vem recebendo diariamente energia do Sudeste, que teve a geração de energia reforçada pelas térmicas a gás. De acordo com a diretora de gás e energia da Petrobras, Maria das Graças Foster, a utilização das térmicas quintuplicou este mês.

DANIELE CARVALHO E NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 19h55

Segundo ela, a geração térmica atingiu a média de 2,5 mil megawatts (MW) médios este mês, contra os 500 MW médios registrados no final de abril. "Em alguns dias tivemos picos de até 3,4 mil MW", comentou a executiva. Para atender ao aumento da geração, a Petrobras ampliou as importações de gás boliviano para 30 milhões de metros cúbicos por dia e deve atingir a capacidade máxima do gasoduto (31 milhões) no mês que vem.

Além do aumento no consumo, a ampliação nas importações será necessário por causa de paradas programadas para manutenção de plataformas na Bacia de Campos, o que reduzirá a oferta nacional de gás. Para garantir o fornecimento neste período, a Petrobras também deslocou do Nordeste para o Rio o navio de gás natural liquefeito (GNL) Golar Spirit, que vai injetar entre 3 e 4 milhões de metros cúbicos por dia na rede.

O outro navio de GNL comprado pela estatal, o Golar Winter, será entregue à Petrobras em julho e também poderá dar suporte à paralisação das plataformas. É a primeira vez que a estatal coloca um navio regaseificador em operação por necessidade do mercado - antes, as embarcações haviam sido usadas apenas para testar os equipamentos. Desde que o Golar Spirit chegou, no final do ano passado, o Brasil enfrentava um cenário de excedente de gás.

Tanto que a Petrobras chegou a realizar dois leilões para venda de gás natural, em contratos de curto prazo, nos quais se comprometeu a entregar entre 3,5 milhões e 4 milhões de metros cúbicos de gás por dia nos meses de maio, junho e julho. A empresa ofertou cerca de 10 milhões de metros cúbicos por dia em cada leilão.

Agora, porém, as térmicas têm sido acionadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para poupar água nos reservatórios das hidrelétricas da Região Sul. Na segunda-feira, por exemplo, seis usinas a gás da Petrobras geraram energia, algumas delas operando a capacidade máxima. Valendo-se do modelo de intercâmbio regional de energia, o ONS tem enviado à Região Sul mais de 5 mil MW gerados nas regiões Norte e Sudeste.

As hidrelétricas do Sul estão com 37% de sua capacidade de armazenamento de energia. O valor ainda está 22,7 pontos porcentuais acima da curva de aversão ao risco da região, mas preocupa. Por outro lado, as hidrelétricas do Norte e do Nordeste estão no limite de sua capacidade de armazenagem por conta das chuvas, que vêm provocando fortes enchentes.

Tudo o que sabemos sobre:
gásenergiaPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.