Secovi: aluguéis têm alta de 1,2%

Os preços dos aluguéis de imóveis residenciais dos contratos de locação assinados no mês passado tiveram alta média de 1,2% em relação aos firmados em dezembro, segundo pesquisa do sindicato da habitação de São Paulo (Secovi-SP), em uma amostra de 140 empresas que operam na capital. Nos últimos 12 meses, os valores locatícios acumularam elevação de 3%.Nos imóveis de um e três dormitórios, os preços dos aluguéis apresentaram crescimento pouco superior a 1,2% no mês passado, enquanto nos de dois quartos a elevação nos valores ficou na faixa de 1%. O número de imóveis locados em janeiro foi superior ao de dezembro, principalmente nas zonas sul, oeste e leste da capital. Na zona norte e no centro, a quantidade de contratos fechados foi mais ou menos semelhante nesses dois meses. Unidades com aluguéis de até R$ 600 e vaga na garagem continuam sendo as mais procuradas.Quem tem filhos prefere mudar no início do anoTodos os anos, no mês de janeiro, aumenta o número de contratos de locação residencial. Isso ocorre porque, com a mudança de residência, muitas famílias que têm filhos em idade escolar precisam transferi-los para outro colégio e é mais conveniente fazer isso no início do ano letivo.Nos contratos fechados no mês passado, o aluguel mais barato, de R$ 175, foi o de um imóvel de um dormitório, sem vaga na garagem, com estado de conservação regular, situado na zona leste 3, onde ficam os bairros de Itaim Paulista, Guaianases, Cidade Tiradentes, Parque do Carmo, São Mateus, Iguatemi. O mais caro, de R$ 1.128, foi o de uma unidade de 3 dormitórios, com vaga na garagem e bom estado de conservação, localizada na zona sul 3, que engloba os bairros de Cerqueira César, Jardins, Ibirapuera, Morumbi, Vila Nova Conceição, ItaimBibi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.