Secovi-SP: mercado imobiliário crescerá 10% em 2010

"Estamos preocupados com a provável falta de mão de obra especializada em 2010", disse Petrucci

Chiara Quintão, Agencia Estado

08 de dezembro de 2009 | 12h38

O Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) estima um crescimento de 10% a 15% do mercado imobiliário brasileiro em 2010, considerando lançamentos e vendas. Recentemente, o Secovi-SP se reuniu com representantes de outras entidades de todo o País, que apontaram que a percepção em relação a 2009 é melhor que a verificada em 2008. "As vendas foram iguais ou maiores que no ano passado", disse o economista-chefe da entidade, Celso Petrucci. Já os lançamentos foram reduzidos.  

VEJA TAMBÉM:
Aluguel no litoral de SP fica até 181% mais caro

O crescimento esperado, no entanto, gera apreensão no setor. "Estamos preocupados com a provável falta de mão de obra especializada em 2010. Vão faltar engenheiros e técnicos de nível universitário", disse Petrucci. Existe também preocupação com os prazos de entrega, em decorrência da possibilidade de falta de equipamentos ou aumento do custo de mão de obra. Possíveis aumentos dos custos de construção são outra preocupação. "Há setores oligopolizados, como cimento, fios e cabos e vidros", afirmou o representante do Secovi-SP.

Entre os desafios para o setor, Petrucci citou a redução da burocracia na aprovação de projetos. Ele defendeu que as obras do programa habitacional "Minha Casa, Minha Vida" tenham qualidade e que o setor imobiliário brasileiro não repita erros ocorridos em países como Espanha e Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
imóveismercadoSecovi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.