Clayton de Souza|Estadão
Clayton de Souza|Estadão

Secretaria de Portos anuncia R$ 2 bi em investimentos em 2016

Aportes serão feitos em novos terminais privados; ministro Helder Barbalho assinou o contrato para a construção do primeiro deles, que fica em São Luís (MA)

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2016 | 18h03

BRASÍLIA - Único segmento de infraestrutura de transportes que conseguiu leiloar novas concessões no ano passado, o setor portuário começou 2016 com o anúncio de quase R$ 2 bilhões em investimentos em novos terminais privados (TUPs). A Secretaria Especial de Portos (SEP) assinou nesta quarta-feira, 6, o contrato para a construção do primeiro deles, localizado em São Luís (MA), onde a WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais - do grupo WTorre - irá investir R$ 780 milhões.

Além do novo terminal maranhense, a Nutripetro irá fazer um investimento de R$ 279 milhões em uma área em Aracruz (ES), para apoio offshore para movimentação de carga geral e granéis líquidos, com capacidade para até 1,2 milhão de metros cúbicos por ano. Já a Bahia Terminais fará um projeto ainda maior em Candeias (BA), orçado em R$ 850 milhões, para movimentar 3,615 milhões de toneladas por ano de carga geral.

O ministro da SEP, Helder Barbalho, assinou o contrato de 25 anos para construção e exploração do TUP da WTorre em São Luís, que será o quarto terminal privado do Maranhão. Com prazo de implantação de três anos - prorrogável por mais três - a unidade funcionará em uma área de 2,190 milhões de metros quadrados. O terminal terá capacidade de movimentação de 24,8 milhões de toneladas por ano de granéis líquidos e sólidos, além de carga geral.

"Os investimentos da WTorre permitirão um incremento na operação portuária do Maranhão. Isso vem de encontro ao interesse do governo em garantir maior competitividade no setor, com a maior oferta possível de agentes nesse mercado", destacou Barbalho. "Os exportadores poderão assim escolher o melhor caminho para escoarem sua produção", completou.

Para Walter Torre, a decisão de investir no Maranhão foi "muito fácil", devido à localização do porto em São Luís e o interesse do mercado pela região. "A demanda está espetacular e já estamos pensando em uma segunda fase de ampliação do projeto. Conseguiremos reduzir em até 40% o custo da exportação de grãos por essa rota. Estamos seguros do nosso investimento", declarou.

A SEP prevê investimentos de R$ 1,782 bilhão no setor portuário nos próximos anos somente no Maranhão, que irão elevar a capacidade de escoamento do Estado em 32,5 milhões de toneladas por ano. Além dos TUPs, esse montante inclui sete áreas de arrendamentos portuários a serem licitadas, com projetos orçados em R$ 810,61 milhões, além de três prorrogações contratuais cujos processos já estão em andamento, com investimentos previstos de R$ 191,1 milhões.

Leilão. Barbalho disse também que o edital para o segundo leilão de arrendamentos portuários, com seis áreas no Pará, deve ser publicado pelo governo entre os dias 21 e 25 de janeiro. O leilão está previsto para ocorrer em março. Segundo ele, o novo edital terá ajustes na modelagem, como uma ampliação do prazo para a análise dos projetos.

O segundo leilão incluirá três áreas em Outeiro, duas em Santarém, além do terminal de Vila do Conde, que foi retirado do certame de dezembro do ano passado por falta de interessados. Na ocasião, o governo arrecadou R$ 430 milhões com o arrendamento de três áreas no Porto de Santos.

"Concluímos ontem as reuniões com a entidades e investidores interessados nas áreas no Pará e vamos fazer ajustes para tornar o edital mais atrativo. Vamos ampliar o prazo entre a publicação do edital e a apresentação das propostas para que haja mais tempo para a interlocução com investidores estrangeiros", afirmou o ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
Infra-estrutura de Transporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.