Secretaria recomenda fim de vôo compartilhado entre Varig e TAM

A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda recomendou a proibição das operações em code share (compartilhamento de vôos) das empresas áreas Varig e TAM. Segundo parecer da Seae sobre as operações, divulgado hoje no site da Seae, existem indícios de prática de cartelização, com conseqüente dano à concorrência.As averiguações da Seae mostraram que as empresas adotaram política comercial uniforme, indo assim contra o Acordo de Preservação de Reversibilidade (Apro) assinado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em março do ano passado. Nessa data, foi autorizado de modo preliminar e temporário a operação de code share. A assinatura do Apro garante as condições de reversibilidade de uma operação entre empresas.O parecer da Seae determinou também envio de representação à Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça contra Varig e TAM e seus dirigentes ou administradores. A Seae ainda recomenda a revogação do Acordo assinado com o Cade "por haver robustos indícios de violação às obrigações dispostas no Apro no sentido de as partes (Varig e TAM) manterem política comercial uniforme". Segundo a Seae, SDE e Cade deverão agora dar um prazo para ampla defesa das empresas para que elas possam se manifestar antes de qualquer medida seja adotada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.