Ivan Valencia/ AP
Ivan Valencia/ AP

Secretário de Estado dos EUA diz que governo Trump defenderá 'fortemente' entrada do Brasil na OCDE

Em encontro com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em Bogotá, Mike Pompeo elogiou o Brasil por sua 'liderança na busca por uma solução' para a crise na Venezuela

Eduardo Gayer, O Estado de S. Paulo

21 de janeiro de 2020 | 12h15

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmou nesta terça-feira, 21, que o governo de Donald Trump defenderá "fortemente" um convite ao Brasil para iniciar o processo de adesão à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), levando em consideração o alinhamento do governo brasileiro com as políticas econômicas dos Estados Unidos. De acordo com o Itamaraty, Washington formalizou em 15 de janeiro o apoio à entrada do País na OCDE, em carta apresentada ao Conselho do grupo.

Em encontro com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, durante evento de combate ao terrorismo em Bogotá, capital da Colômbia, Pompeo elogiou o Brasil por sua "liderança e esforços na busca de uma solução para a crise política e humanitária na Venezuela e pelo apoio à democracia na Bolívia", de acordo com nota emitida pelo governo americano.

Pompeo e Araújo ainda negociaram esforços conjuntos para práticas comerciais e de investimentos, assim como destacaram uma "estreita parceria na luta global contra o terrorismo".

Para ingressar no "clube dos países ricos", o Brasil precisa, porém, obter consenso dos membros. Em recente entrevista ao Estadão/Broadcast, o secretário de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Troyjo, disse prever que a conclusão da entrada do Brasil na OCDE acontecerá ainda na primeira administração do governo Jair Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.