Secretário de Habitação dos EUA renuncia nesta segunda

Alphonse Jackson está sob investigação criminal; secretário alegou motivos familiares para a renúncia

Agência Estado,

31 de março de 2008 | 11h58

O secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano dos EUA, Alphonse Jackson, apresentou oficialmente nesta segunda-feira, 31, sua renúncia. Ele deixará o cargo no dia 18 de abril. "Há uma hora em que é preciso cuidar mais atentamente das questões pessoais e familiares", disse Jackson numa rápida entrevista à imprensa. "Este é a hora para mim." Jackson está sob investigação criminal em um momento em que a crise no setor de moradias colocou em risco o mercado de crédito e ameaça, segundo alguns economistas, levar a economia do país à recessão.  Veja também: Cronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos    As autoridades federais estão investigando denúncias de que Jackson favoreceu alguns contratados em negócios com o Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano durante os últimos dois anos.Há uma semana, dois senadores democratas, Patty Murray, de Washington, e Christopher Dodd, de Connecticut, enviaram carta ao presidente George W. Bush pedindo o afastamento de Jackson, sob o argumento de que as acusações de procedimentos irregulares haviam comprometido sua credibilidade.  O Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano (HUD, em inglês) gerencia a Administração Federal de Habitação (FHA, em inglês), que garante as hipotecas para proprietários de baixa renda e pessoas que compram sua primeira casa. Os democratas, que têm agora maioria nas duas câmaras do Congresso, propuseram que a FHA desempenhe um papel mais amplo na solução do problema das hipotecas de alto risco e dos despejos de inquilinos. As relações de Jackson com os democratas foram ruins durante anos, e o funcionário foi criticado pela maneira que seu departamento respondeu às necessidades de moradia depois da passagem do furacão "Katrina" por território americano. No entanto, o principal problema judicial de Jackson se encontra no estado da Pensilvânia, onde há uma investigação aberta contra ele. As autoridades de habitação da cidade da Filadélfia abriram um processo no qual alegam que o Departamento da Habitação tentou sancionar a agência municipal, porque esta não aceitou como contratado um amigo de Jackson. Já em 2006, a Inspeção Geral do HUD investigou se existia favorecimento na concessão de contratos, após polêmicas declarações de Jackson na qual sugeria que a filiação política dos proponentes poderia influir na escolha de empresas terceirizadas. Após esta investigação, não foram encontradas provas de irregularidades.  (com Efe)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.