Secretário diz que exportar é saída para criar empregos

O secretário de Ciência e tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo de São Paulo, João Carlos de Souza Meirelles, disse hoje a empresários do setor exportador que o governo paulista elegeu as exportações como "prioridade total" do Estado. "Vivemos uma crise de consumo interno para qualquer produto, e isso significa, também, redução na oferta de trabalho. Para gerar empregos precisamos, então, do mercado externo", afirmou o secretário.Ele afirmou que São Paulo precisa exportar cada vez mais valor agregado em seus produtos enviados ao mercado externo e não apenas aumentar o volume dessas vendas. "Estamos preocupados em agregar mais valor às exportações paulistas, já que ainda continuamos exportando matéria-prima", reconheceu o secretário. De acordo com ele, o compromisso do governador Geraldo Alckmin até o final de seu mandato é fazer com que o Estado de São Paulo exporte pelo menos US$ 10 bilhões a mais.?Para isso, criamos o Conselho de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Cericex), com o qual pretendemos organizar os fatores de produção do Estado", disse. A idéia, segundo o secretário, é atacar setores como os do açúcar e café. "Continuamos exportando grandes volumes de açúcar e café. No entanto, 92% do volume de café exportado se refere a café verde em grãos, como o fazíamos em 1850", lamentou, ao comentar que países como a Alemanha e Itália, que não têm sequer um pé de café, são os maiores exportadores do mundo desse produto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.