Secretário-geral da OCDE defende inclusão do Brasil

O secretário-geral da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Donald Johnston, defendeu a ampliação do grupo e disse não ser possível administrar a economia global excluindo algumas das maiores economias do mundo, como China, Índia, Brasil e Rússia. Johnston está em Tóquio participando da World Expo e reuniu-se com várias autoridades do país. "Acredito que teríamos de ter um número maior de participantes para manter a relevância da organização, mas isso implicaria mudanças nos métodos de trabalho", afirmou. "Esta é uma questão que teremos de discutir e é extremamente complexa", acrescentou.Johnston não disse, entretanto, quando tais decisões seriam tomadas. Atualmente a OCDE é composta por 30 nações. Em sua fundação, em 1961, a organização contava com 20 nações. Entre 1994 e 2000, a OCDE agregou outros seis membros, em conseqüência da expansão da União Européia, mas ocasionalmente inclui 70 nações em suas discussões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.