Secretário-geral da Opep diz que não há meta de preço

O secretário-geral da Opep, Abdullah al-Badri, disse neste domingo que o grupo não tem uma meta de preço para o petróleo, sinalizando que não haverá mudanças na política de manter os níveis de produção que tem contribuído para queda acentuada no preço do produto.

REUTERS

14 Dezembro 2014 | 10h48

Falando em um evento em Dubai, Badri afirmou que o preço do petróleo, que caiu para mínimas sucessivas de cinco anos nos últimos dias, tinha recuado mais do que os fundamentos do mercado deveriam ter ditado.

Ele pediu aos países do Golfo para continuarem a investir em exploração e produção, dizendo que os Estados Unidos vão continuar a depender do petróleo do Médio Oriente por muitos anos.

Esses foram os primeiros comentários de Badri desde que Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) deixou os seus níveis de produção inalterados em uma reunião no mês passado, quando também disse que não havia uma meta de preço.

"Os fundamentos não deveriam levar a essa redução dramática (no preço)", disse Badri, que é líbio.

A queda nos preços do petróleo pressionou as ações de energia e moedas expostas a exportações de petróleo na sexta-feira, reduziu o apetite por ativos de maior risco e levou os investidores para a segurança da dívida do governo apesar da forte confiança do consumidor dos Estados Unidos.

Badri disse que a Opep busca um nível de preços adequado e satisfatório tanto para os consumidores como para os produtores, mas não especificou um número. Questionado se haveria necessidade de uma reunião de emergência da Opep antes de junho, Badri sorriu e disse: "Eu não sei."

(Reportagem de William Maclean) 

Mais conteúdo sobre:
COMMODSPETROLEOOPEP*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.