Secretário Julio Bueno, do RJ, critica preço do álcool

O secretário de Desenvolvimento e Energia do Rio de Janeiro, Julio Bueno, afirmou nesta quarta-feira que há entre 30 a 40 projetos de etanol no Estado fluminense parados por causa da falta de competitividade do preço do álcool. De acordo com ele, isso é reflexo do congelamento dos preços da gasolina pelo governo federal, o que limita a capacidade de investimentos da Petrobras.

SABRINA VALLE, Agencia Estado

28 de novembro de 2012 | 11h53

"O congelamento do preço da gasolina tem tirado fôlego da nossa principal ''player'', a Petrobras, diminuindo sua capacidade de investimentos. Isso tem impacto direto sobre o Rio de Janeiro", disse, no seminário Gás Natural, realizado pela iniciativa "Rio Capital da Energia", no Rio de Janeiro.

Os atuais preços da gasolina tornam desvantajoso para o consumidor encher o tanque com etanol. Sem uma política clara de preços, a indústria alcooleira parou os investimentos, explicou o secretário.

Tudo o que sabemos sobre:
gásRioJulio Bueno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.