Niels Andreas/Estadão
Niels Andreas/Estadão

Sedex 10 para o Rio fica suspenso entre 28 de julho e 18 de setembro

Por causa da Olimpíada, cariocas que moram no entorno de vias públicas próximas às arenas e provas de rua também ficarão sem a entrega e a coleta domiciliar de todos os tipos de correspondências

Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2016 | 12h08

BRASÍLIA - Os Correios informaram nesta terça-feira que os serviços com horário limite de entrega para a cidade do Rio de Janeiro ficarão suspensos entre 28 de julho e 18 de setembro deste ano. A estatal diz que o motivo são os Jogos Olímpicos e Paralímpicos que interditarão ou colocarão restrições de acesso em diversas ruas. 

Não será possível mandar Sedex 10, Sedex 12 e Sedex Hoje durante quase dois meses para a capital fluminense. Os cariocas que moram no entorno de vias públicas próximas às arenas e provas de rua também ficarão sem a entrega e a coleta domiciliar de todos os tipos de correspondências. Quando o destino for essas localidades, os Correios não receberão encomendas e malotes de qualquer lugar do Brasil. 

Não só os vizinhos aos locais onde terão provas serão prejudicados. Serviços expressos (Sedex, e-Sedex e malote e remessa expressa) para qualquer lugar do Rio de Janeiro terão dois dias úteis acrescidos aos respectivos prazos padrão. Os serviços não expressos (PAC, remessa econômica e carta registrada) demorarão mais três dias úteis além dos prazos originais. 

Os Correios afirmam que traçaram uma "operação especial" por causa dos Jogos Olímpicos, com início na próxima quinta-feira, que prevê ajustes na prestação dos serviços, reforços da capacidade produtiva, funcionamento de entrega de encomendas aos sábados, domingos e feriados, realização de horas extras e alocação de veículos extras na capital fluminense. As restrições foram estabelecidas por um decreto municipal, com o objetivo de "melhorar a mobilidade urbana no período".

Mais conteúdo sobre:
Correios Rio de Janeiro Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.