Seguradoras de veículos apostam em crescimento

As seguradoras que trabalham com seguros de automóveis estão com perspectivas positivas para o ano de 2001. Especialistas em seguros de veículos setor estão otimistas. Segundo a Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), a queda de juros nos financiamentos de veículos e o aumento nas vendas de veículos devem resultar num aumento das vendas de seguro de automóveis. As boas notícias do cenário econômico do Brasil e do exterior, as quedas da taxa de juros básica (Selic) e queda nos índices de desemprego também são considerados indicadores essenciais para o crescimento do setor.O vice-presidente da Sul América Seguros e da Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados (Fenaseg), Júlio Avelar, acredita que quanto maior o volume de vendas de veículos, mais seguros serão vendidos no mercado. "As vendas de seguros de automóveis estão totalmente relacionadas às vendas de veículos novos e usados. Se o mercado de vendas e financiamento crescer, nosso mercado também ganha em negócios", avalia. Avelar aposta num crescimento de cerca de 5% no volume de vendas no mercado de seguro de automóveis em 2001 em relação ao ano passado.AGF aposta na queda de juros no financiamento de segurosAs expectativas são positivas também na análise da AGF Brasil Seguros. O diretor-executivo da empresa, Marcelo Goldman, ressalta que a expectativa é de crescimento de até 15% nas vendas dos seguros de automóveis da empresa neste ano. "As perspectivas são otimistas, pois as montadoras de veículos estão prevendo crescimento nas vendas, as taxas de juros do setor estão caindo, o nível de desemprego está em queda e as notícias do cenário econômico também são positivas", explica. Goldman ressalta que os juros dos parcelamentos de seguros de veículos podem sofrer reduções durante o ano. "Se a taxa básica de juros (Selic) continuar em queda e as notícias do cenário econômico exterior continuarem favoráveis, os juros do setor podem sofrer reduções", avisa.Bradesco acredita em crescimento de 3% para o setorO diretor técnico de automóveis da Bradesco Seguros, Renato Pitta de Moura, também aposta num crescimento nas vendas do setor. "Quando a situação econômica do País começa a melhorar com queda do índice de desemprego e queda da taxa de juros, os consumidores começa a contratar serviços como o seguro", avalia. Ele acredita que o mercado tenha um crescimento de cerca de 3% durante o ano de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.