Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Maioria não marca perícia e pode perder auxílio-doença

Prazo para fazer agendamento terminou na sexta-feira, e menos de 10% dos 86 mil convocados marcaram um novo procedimento

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2021 | 16h43
Atualizado 20 de novembro de 2021 | 11h05

BRASÍLIA - No último dia do prazo, milhares de beneficiários do auxílio-doença deixaram de agendar na sexta-feira, 19, nova perícia médica no INSS e devem ter os pagamentos suspensos. Nas contas do governo, a expectativa é de que menos de 10% dos 86 mil beneficiários que precisam marcar a perícia tenham feito o agendamento. Há a avaliação de que uma parcela dos que estão recebendo os pagamento já está recuperada e, por isso, não deve atender ao chamado da Previdência.

Quem continua incapacitado para trabalhar e perdeu o prazo desta sexta ainda poderá fazer o agendamento, embora fique exposto a uma eventual suspensão temporária do benefício, até que a perícia seja marcada para dar o parecer final sobre a continuidade dos pagamentos.

O segurado que tiver o benefício suspenso tem até 60 dias para fazer o agendamento, o que basta num primeiro momento para reverter a suspensão (até que a perícia defina se o benefício será mantido). Após 60 dias, o benefício é cancelado definitivamente.

Convocação

Em julho, cerca de 173 mil beneficiários foram convocados pelo INSS, por meio de carta, para a revisão dos benefícios por incapacidade temporária que não passaram por perícia nos últimos seis meses nem têm data de encerramento ou indicação de reabilitação previstas. O pente-fino nesse benefício foi iniciado em agosto.

Em setembro, 95,6 mil segurados que ainda não haviam agendado a perícia foram convocados por meio de publicação no Diário Oficial da União (DOU). Desses, 7,8 mil realizaram perícias ou fizeram o agendamento até 10 de novembro, segundo o INSS.

O Estadão pediu ao Ministério de Trabalho e Previdência e ao INSS números atualizados de quantos beneficiários do auxílio-doença ainda não fizeram o agendamento, mas a informação é de que o próximo balanço será divulgado na semana que vem.

Aplicativos

Os convocados devem agendar perícia médica pelo aplicativo Meu INSS ou pelo site do órgão. Também é possível ligar para a Central 135, que funciona de segunda a sábado, das 7 horas às 22 horas.

Na data agendada para a realização da perícia, o segurado deve levar identificação pessoal, além de toda a documentação médica, como laudos com CID, atestados, receitas e exames recentes.

“A partir do dia 19 de novembro, os segurados que ainda não agendaram poderão ter seu benefício suspenso”, diz o INSS em comunicado em sua página oficial.

Como posso marcar minha perícia?

É preciso agendar uma perícia médica por um dos canais de atendimento do INSS — Meu INSS (aplicativo ou site gov.br/meuinss) ou pelo telefone 135. .

Pelo Meu INSS, basta seguir o seguinte passo a passo:

  1. Faça o login no Meu INSS
  2. Clique em "Do que você precisa?", escreva "Agendar Perícia" e, em seguida, em "Novo Requerimento"
  3. Escolha entre "Perícia Inicial", se for a primeira vez, ou "Perícia de Prorrogação", se já estiver em benefício
  4. Siga as orientações que aparecem na tela
  5. Informe os dados necessários para concluir o seu pedido

Os convocados devem agendar perícia médica pelo aplicativo Meu INSS ou pelo site do órgão. Também é possível ligar para a Central 135, que funciona de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Na data agendada para a realização da perícia, o segurado deve levar identificação pessoal, além de toda a documentação médica, como laudos com CID, atestados, receitas e exames recentes.

“A partir do dia 19 de novembro, os segurados que ainda não agendaram poderão ter seu benefício suspenso”, diz o INSS em comunicado em sua página oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.