Seguro contra calote de Dubai atinge pico desde março

O custo do seguro contra moratória da dívida de Dubai com vencimento em cinco anos disparou ontem para o seu maior nível desde março do ano passado, em meio à preocupação com a reestruturação da dívida do conglomerado estatal Dubai World. O nervosismo com o futuro da Dubai World aumentou depois que a agência de notícias Dow Jones informou que a empresa negociava um acordo em duas etapas, numa das quais os credores seriam ressarcidos em 60% do valor ao longo de sete anos. O governo de Dubai negou essa informação no domingo, mas os investidores, já alarmados pela falta de informação sobre os planos da companhia quanto à sua dívida, reagiram com perplexidade à notícia.

AE, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2010 | 09h20

O Credit Default Swap (CDS ), uma espécie de seguro para títulos, de cinco anos chegou a 651 pontos-base, segundo a CMA DataVision, acima da marca registrada quando o governo de Dubai anunciou uma paralisação da dívida da Dubai World, em novembro.

Segundo os bancos, a Dubai World ainda não propôs formalmente uma saída para sua dívida de cerca de US$ 22 bilhões. No dia 10 de março, vence mais uma parcela, de US$ 1,2 bilhão. Em dezembro, a Dubai World evitou um calote de US$ 4,1 bilhões no seu título islâmico graças a uma ajuda de última hora do vizinho Abu Dhabi. O título islâmico da Nakheel, subsidiária da Dubai World que carrega grande parte das dívidas da empresa, caiu 3,5 pontos na segunda-feira, para 50, segundo dados da agência de notícias Reuters referentes aos papéis com vencimento em janeiro de 2011.

As taxas interbancárias dos Emirados Árabes também têm subindo nas últimas semanas, refletindo ansiedade.

Tudo o que sabemos sobre:
Dubai, dívida, moratória

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.