Seguro-desemprego nos EUA volta a maior nível desde 1982

Pedidos sobem em 62 mil na última semana e chegam a 589 mil, após queda de mais de 100 mil no início do ano

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

22 de janeiro de 2009 | 11h58

Os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos subiram em 62 mil na semana encerrada em 17 de janeiro, para o nível sazonalmente ajustado de 589 mil, informou o Departamento de Trabalho. Trata-se do mesmo nível atingido na semana de 20 de dezembro de 2008 e o maior desde novembro de 1982, quando os pedidos superaram 600 mil.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    Economistas consultados pela Dow Jones esperavam aumento de 26 mil dos pedidos na semana passada. Um analista do Departamento de Trabalho observou que os pedidos costumam mostrar volatilidade de novembro a janeiro. De fato, após caírem mais de 100 mil entre o final de dezembro e a primeira semana de janeiro, para abaixo de 500 mil, os pedidos devolveram essa queda em apenas duas semanas. A média quadrissemanal de pedidos ficou estável em 519,25 mil.   Os benefícios recebidos há mais de uma semana subiram 97 mil na semana de 10 de janeiro para 4,607 milhões, o maior nível desde novembro de 1982. A taxa de desemprego para os trabalhadores que recebem o benefício se manteve em 3,4%.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraEmpregoEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.