Seguro indeniza nas demissões sem justa causa

O Citibank Seguros tem um produto que se assemelha ao seguro-desemprego pago pelo governo aos trabalhadores demitidos sem justa causa (veja detalhes no link da matéria abaixo). É uma indenização nas demissões sem justa causa, cujo valor máximo pode chegar a três parcelas de R$ 1 mil. O seguro pode ser contratado pelos correntistas e por aqueles que têm o cartão de crédito do banco. O valor a ser pago limita-se a 20% do valor do cartão de crédito ou do cheque especial desde que não ultrapasse o teto de R$ 1 mil. As parcelas são sempre pagas por três meses consecutivos. Se o correntista tem R$ 3 mil de limite no cheque especial e contrata o seguro, por exemplo, receberá um crédito de R$ 600 em três parcelas. Caso tenha um limite maior, de R$ 6 mil, não receberá 20% sobre esse valor, mas três parcelas de R$ 1 mil, o valor limite do seguro."Um dos maiores atrativos é a facilidade no pagamento quando ocorre a demissão sem justa causa. Outra vantagem é o valor pequeno pago mensalmente", explica Umberto Fabbri, diretor de seguros da instituição. Segundo ele, o segurado não paga mais do que R$ 10 mensais pelo seguro.O pagamento pode ser feito diretamente na conta corrente (para os correntistas) ou lançado na fatura de cartão de crédito (para os não-correntistas). Para receber o seguro, é preciso ter registro em carteira e vínculo empregatício de no mínimo um ano. Essas provas não precisam ser apresentadas na contratação do seguro, mas ao requerer a indenização. Os documentos necessários para liberação do dinheiro são a Carteira de Trabalho, o vínculo empregatício de um ano e a prova de que a demissão foi sem justa causa. De acordo com Umberto Fabbri, esse produto não está necessariamente vinculado ao pagamento de contas (veja matéria no link abaixo). "Ele pode sacar imediatamente após a liberação ou reservar para o pagamento de seus débitos."Veja na matéria do link abaixo como funciona o seguro-desemprego, pago pelo governo, e o seguro em caso de demissão sem justa causa, vinculado ao pagamento de contas, como mensalidade escolar, faturas de luz e telefone, cartão de crédito etc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.