coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Seguro por perfil avalia motorista

Os consumidores que pretendem contratar um seguro de veículo por perfil devem ficar atentos às suas características. Ao optar pelo plano por perfil, o segurado deve saber que o valor do prêmio será definido pela a avaliação de um questionário, com perguntas sobre o condutor e seu veículo. Especialistas do setor recomendam ao segurado responder todas as questões de forma clara, objetiva e verdadeira para não sofrer o risco de não receber a indenização, em caso de sinistro. Este tipo de seguro avalia o motorista de acordo com sua idade, sexo, endereço, tipo de veículo, tempo de habilitação e pessoas que utilizam o veículo. O diretor técnico de automóveis da Sul América Seguros, Paulo Umeki, avisa que o questionário de avaliação de risco deve ser respondido de forma verdadeira. "Caso contrário, o segurado pode perder a cobertura de seu seguro", alerta.O diretor técnico de automóveis da Vera Cruz Seguradora, João Bosco Medeiros, informa que o questionário de sua empresa tem apenas três perguntas: qual a idade, o tempo de habilitação e se residem na casa com pessoas com menos de 26 anos. "A vantagem do seguro por perfil é que aquelas pessoas com um perfil com menos risco de acidente e roubo pagam um prêmio menor", afirma.Cuidados na contrataçãoO técnico de assuntos financeiros da Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, Cláudio Lima, alerta que o consumidor deve contratar um seguro por meio de um corretor inscrito na Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão que regula o setor de seguros. Outra dica importante é com relação ao questionário de avaliação de risco. "É o próprio segurado quem deve preencher o questionário, e deve fazê-lo com o máximo de precisão, sem omitir nenhum dado.", explica. Ele orienta ao segurado não deixar o questionário por conta do corretor, pois ele não terá segurança que as informações estarão corretas. Cláudio Lima ressalta que as perguntas do questionário das seguradoras não devem ter duplo sentido "As perguntas devem ser claras e objetivas e não devem deixar dúvidas ao consumidor", destaca o técnico. Cláudio Lima aconselha ao consumidor ler atentamente o contrato e a proposta do seguro antes de fechar o negócio. "O segurado deve conferir todos os dados, tanto os pessoais quanto os do veículo, incluindo as respostas do questionário de avaliação de risco e, se houver alguma divergência, deverá entrar em contato imediatamente com a seguradora." Caso a seguradora não resolva o problema, o consumidor pode mover uma ação na Justiça. Vale lembrar que, nas ações cujo valor da causa não ultrapasse 40 salários mínimos (R$ 7,2 mil), há o benefício do Juizado Especial Cível. Até 20 salários (R$ 3,6 mil), a presença do advogado fica dispensada. Acima destes valores, o processo é encaminhado à Justiça comum.

Agencia Estado,

28 de junho de 2002 | 12h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.